Avaliação de viabilidade técnica do reaproveitamento do mel residual do açúcar granulado via cristalização por resfriamentol.

Douglas Silva

Resumo

O Brasil é um dos maiores produtores de açúcar do mundo, sendo que os tipos comercializados no mercado interno têm maior margem de lucro, apesar das limitações do reaproveitamento industrial devido aos elevados padrões de qualidade. O açúcar refinado granulado é produzido por cristalização por evaporação a vácuo, sendo que a solução saturada residual obtida durante a centrifugação do açúcar, industrialmente chamada de mel, é reutilizada em até seis processamentos. Ao final do sexto processamento o mel residual, embora de alta qualidade, é utilizado na produção de outros açúcares, pois a sua reutilização geraria um produto fora da especificação necessária para o fornecimento para a indústria farmacêutica. Este trabalho analisa a viabilidade técnica de um ciclo adicional de reaproveitamento do mel do açúcar granulado, utilizando cristalização por resfriamento com base em testes em escala de bancada, em quatro velocidades de resfriamento, buscando aumento do rendimento do processo. O açúcar obtido nos ensaios atendeu, na maioria dos casos, às especificações do açúcar granulado, não atingindo o parâmetro nos itens granulometria e, em alguns casos, a cor ICUMSA, o que pode ser atribuído às dificuldades operacionais encontradas no estudo em escala de laboratório. A granulometria e a cor são parâmetros controláveis industrialmente e podem ter sua correção com um processo de centrifugação eficiente, o que indica que a cristalização por resfriamento é viável para a obtenção do açúcar granulado. A implantação de um ciclo adicional de reaproveitamento do mel por resfriamento ao final do processo representa um aumento de 10,2% na recuperação de sacarose na produção de açúcar granulado.

Texto completo:

PDF

Número de visualizações: 97

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA (Brasil). Formulário nacional da farmacopeia brasileira. Brasília-D.F.: ANVISA, 2012.225 p.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION (United Nations) . Crops Production - Sugarcane: FAOSTAT, 2016. Disponível em: http://www.fao.org/faostat/en/?#search/Sugar%20cane. Acesso em: 27 maio 2018.

GRABOWSKI, M. et al. Minimum energy consumption in sugar production by cooling crystallization of concentrated raw juice. Applied Thermal Engineering, Warsaw, v. 21, p.1319-1329, 2001.

GIULIETTI, M.; SECKLER, M.M; DERENZO, S.; RÉ, M.I; CEKINSKI, E. Industrial crystallization and precipitation from solutions: state of the technique. Brazilian Journal Of Chemical Engineering, São Paulo, v. 18, n. 4, p.423-440, dez. 2001.

MANTELATTO, P. E. Estudo do processo de cristalização de soluções impuras de sacarose de canade-açúcar por resfriamento. 235 f. Dissertação (Mestrado) - Pós-Graduação em Engenharia Química, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005.

MYERSON, A. S. Handbook of industrial crystallization. 2. ed. Illinois: Butterworth Heinemann, 2002. 313 p.

NÝLVT, J.; HOSTOMSKÝ, J.; GIULIETTI, M.; Cristalização. São Carlos: UFSCAR/IPT, 2001. 160 p.

RAÍZEN. LA.0011 - análise de açúcar sólido. Piracicaba, 2016. Documento interno.

UNIÃO DA INDÚSTRIA DE CANA-DE-AÇÚCAR . Moagem de cana-de-açúcar e produção de açúcar e etanol - safra 2016/2017. Disponível em: http://www.unicadata.com.br/historico-de-producao-e-moagem. php?idMn=32&tipoHistorico=4&acao=visualizar&idTabela=1984&safra=2016%2F2017&estado=RS%2CS C%2CPR%2CSP%2CRJ%2CMG%2CES%2CMS%2C%2CDM%2CAC%2CRR. Acesso em: 27 maio 2018.

VACCARI G. ; MANTOVANI, G., An Innovative and environmentally compatible process for beetsugar production: cooling crystallization of raw juice. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM RESEARCH AND DEVELOPMENT IN BEET-SUGAR INDUSTRY, 1993, Proceedings […]. France: Association of Andrew Van Hook, 1993. p.57-64.

VACCARI, G.; MANTOVANI, G. Potential application of cooling crystallization to cane sugar refining. Sugar y Azucar, Italy, v. 91, n.1, p. 33-40, 1996.

VAN DER POEL, P.H., SCHIWECK, H., SCHWARTZ, T. Sugar technology: beet and ane sugar manufacture. Berlin, 1998.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.