Avaliação da análise de cal por espectrômetro de fluorescência de raios-X

Sérgio Soares de Lima

Resumo

Há muitos anos, as análises químicas de amostras de cal hidratada fazem parte da rotina de ensaios no Laboratório de Materiais de Construção Civil (LMCC) do IPT, realizados conforme a norma NBR 6473, por via úmida ou via clássica. Habitualmente, para a caracterização química completa de uma única amostra de cal, cerca de 30 horas de trabalho de um técnico de laboratório é requerido. Com o objetivo de reduzir o tempo de análise e dar subsídios para o meio técnico para tomada de decisão, o LMCC buscou a metodologia da espectrometria de fluorescência de raios X (FRX) como uma alternativa ao método da norma brasileira vigente. Este trabalho apresenta os resultados de análises por FRX, realizadas de acordo com a NBR 6473, de diferentes tipos de cal e de testes de significância por t-Student os quais confirmam a viabilidade do uso dessa técnica como um método alternativo, propiciando a redução do tempo de análise, a determinação de outros elementos químicos e a eliminação do uso de reagentes químicos.  

Texto completo:

PDF

Número de visualizações: 19

Referências

AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. C114 − 18: Standard Test Methods for Chemical Analysis of Hydraulic Cement. West Conshohocken: ASTM International, 2018. 33 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14656: Cimento Portland e matérias-primas – Análise química por espectrometria de raios X – Método de ensaio. Rio de Janeiro, 2001. 6 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6453: Cal virgem para construção civil – Requisitos: Rio de Janeiro: ABNT, 2003a. 3 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6473: Cal virgem e cal hidratada – Análise química. Rio de Janeiro: ABNT, 2003b. 31 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7175: Cal hidratada para argamassas - Especificação. Rio de Janeiro: ABNT, 2003c. 4 p.

BUHRKE, V. E.; JENKINS, R; SMITH, D. K. A Practical Guide for the Preparation of Specimens for X-Ray Fluorescence and X-Ray Diffraction Analysis. New York: John Wiley & Sons, 1998. 333 p.

CHOTOLI, F. F.; FONSECA, E. F. L.; QUARCIONI, V. A. Validação da robustez de determinação de perda ao fogo em cal hidratada. In: ENQUALAB – CONGRESSO DA QUALIDADE EM METROLOGIA, 2013, São Paulo. Anais […]. São Paulo: Remesp, 2013.

CLAISSE. Pérola de vidro e soluções para fusão em borato para usuário de Claisse Fluxers. Rio de Janeiro; Segunda Editora, 2000.

EURACHEM. Guia EURACHEM / CITAC. QUAM: Determinando a Incerteza na Medição Analítica. 2 ed. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Metrologia, 2002. 168 p. (versão brasileira). Disponível em: http://www.quimlab.com.br/PDF-art/Guia%20Eurachem%20em%20Portugu%EAs.pdf. Acesso em: 7 abr. 2020.

GUIMARÃES, J. E. P. A Cal – Fundamentos e aplicações na Engenharia civil. São Paulo: Pini, 1997. 285 p.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO/FDIS 29581-2:2010: Cement – Test Methods – Part 2: Chemical analysis by X-ray fluorescence. Geneve: ISO, 2010.

JORNADA, D. H.; PIZZOLATO, M. Sistemática para avaliação da robustez de métodos de ensaio através de projetos de experimentos. In: ENQUALAB – CONGRESSO DA QUALIDADE EM METROLOGIA, 2007, São Paulo. Anais […]. São Paulo: Remesp, 2007. 6 p.

PANALYTICAL LTD. MINIPAL. User´s Guide.. 3 ed. Netherlands: Panalytical, Dec., 2009.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.